34

No dia 5 de fevereiro completei 34 anos. Uns quatro meses antes, no final do ano passado, considerei a possibilidade de, finalmente, reunir alguns amigos em casa nessa data, comemorar com a família e passar meu aniversário do jeito que eu gosto: de forma tranquila, com pessoas queridas e um bolo bem gostoso.

A realidade foi um início de ano turbulento no mundo e no Brasil, em parte, por causa da pandemia eterna, o que me fez cancelar os planos de uma pequena aglomeração. Também foi turbulento na minha vida pessoal: muito trabalho, fim do semestre da faculdade que durou até o início de janeiro, algumas questões de saúde para resolver.

Gosto do fato de que meu aniversário é no início do ano, porque coincide com certo entusiasmo que costuma surgir nessa época. Geralmente é meu momento de organizar a vida para um novo ciclo. Mas, dessa vez, passei por tudo isso correndo, cansada e frustrada. O pouco que eu tinha planejado para começar o ano minimamente organizada, não consegui fazer, inclusive, em relação a este bloguezinho.

No dia do meu aniversário eu estava saindo do hospital, após uma cirurgia de retirada da vesícula. Com bastante dor e vontade de dormir. Foi uma cirurgia relativamente simples, que eu já sabia há dois anos que teria que fazer. Mesmo assim, foi difícil, porque acho que foi o ápice de estresse acumulado no meu corpo. Agora estou de licença médica: duas semanas de repouso (já passei pela primeira), que também me força a descansar a mente.

Confesso que ainda me sinto cansada e um pouco desanimada com 2022, especialmente após esse início. Mas entendo que não sou uma exceção, o difícil é encontrar alguém muito empolgado ou otimista com qualquer coisa. De qualquer maneira, seguimos, porque é necessário se movimentar.

Passei o aniversário dormindo o dia quase todo, respondendo algumas poucas mensagens no celular. Estou respondendo até hoje, quando me animo a interagir nas redes sociais, então não me odeie se demorei para te responder. Dois dias antes da cirurgia, meu esposo comprou esse bolinho da foto, sabendo que, depois, eu não poderia comer algo parecido tão cedo.

O bolo oficial de aniversário ainda virá, mesmo que seja uns dois meses depois. Me recuso a passar um aniversário sem um bolo, pelo menos. A vida deve ser celebrada e, se depender de mim, continuará sendo, apesar de tudo.

Meu livro acompanhante deste período de repouso tem sido O mundo de Sofia, do Jostein Gaarder. Li esse livro há, no mínimo, uns 15 anos. Estava com ele na mente, não sei por qual motivo, então resolvi reler. Depois venho comentar mais sobre ele aqui.

Aniversários são datas reflexivas para mim. Mas, ao invés de compartilhar todas essas reflexões, vou terminar com uma música que tem me acompanhado muito nos últimos meses, Timoneiro, do Paulinho da Viola. Em breve volto para falar do blog, do universo e tudo mais.

Até mais ler!

2 comentários em “34

  1. Feliz aniversário atrasado! Espero que você tenha se recuperado bem. Confesso que até hoje sinto falta da minha vesícula 😬 pq tem coisas que não consigo mais comer. Tudo de bom, querida! Que voltemos aos blogs 💕

    Curtido por 1 pessoa

    1. Karina, querida. Nem sei quando você vai ler esse comentário, mas só hoje vi ele por aqui, acredita? Muito obrigada pelos parabéns. ❤
      Vi alguns comentários sobre "a vesícula não fazer falta", mas depois de dois meses operada já vi que não tem nada a ver, rs… estou nessa também de não conseguir comer algumas coisas, mas não tem jeito, né? A gente se adapta!

      Um abraço bem apertado pra você!

      Curtir

Deixe uma resposta para karinakuschnir Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s