Cheiro de livro novo 01 – O Triste Fim de Policarpo Quaresma

Oi, pessoas!

No semestre passado precisei trabalhar com o livro O triste fim de Policarpo Quaresma em uma disciplina da faculdade. Eu tinha uma edição de bolso bem velhinha aqui, mas pensei que já que teria que usá-lo durante todo o semestre, poderia ser bom atualizar minha biblioteca com uma edição nova, mais completa e mais bonita. Tenho feito isso aos poucos, adquirindo edições melhores de alguns livros. Nesses casos, sempre faço a doação do que é substituído.

Enfim, encontrei uma edição tão maravilhosa que resolvi compartilhar e achei que o melhor lugar seria aqui, no blog. Depois, pensei que existem tantos livros com edições maravilhosas que às vezes quero compartilhar e, por isso, decidi criar essa série – “Cheiro de livro novo”, que não necessariamente será sobre livros novos. Essa obra do Lima Barreto, por exemplo, não tem nada de nova, mesmo que seja bem atual. A série tem mais a ver com a materialidade do livro.

Devo dizer que gosto de uma bela edição de capa dura, ilustração, análise, comentários, préfacio, posfácio, é um verdadeiro sonho. Sei que alguns de vocês vão me entender. Não me considero uma pessoa consumista em geral, mas devo reconhecer que talvez eu seja um pouco, sim, com os livros.

Já me desapeguei bastante, é verdade. Hoje em dia, entram livros na minha casa com quase a mesma frequência que saem. Criei o hábito de revisitar minhas estantes e ver quais livros posso doar para quem dará melhor uso que eu. Mas continuo sendo a pessoa que se anima com aquele passeio na livraria ou em passar algumas horas em uma biblioteca e que sonha em ter sua própria biblioteca em casa, então não me desapeguei totalmente.

Pois bem, toda essa introdução para dizer que quando vou comprar um livro que, por qualquer motivo, quero manter por muito tempo – interesse de estudos, clássicos, vontade de reler -, procuro edições boas e bonitas, infelizmente, nem sempre baratas. (Por isso amo as feiras de livros das universidades aqui em São Paulo. Para quem não sabe, são eventos em que as editoras vendem parte do seu catálogo por, pelo menos, metado do preço. É o momento de aproveitar e comprar algumas dessas edições.)

No caso de O triste fim de Policarpo Quaresma, como falei, foi um livro que usei durante todo o semestre passado. Também por ser um clássico da literatura brasileira, achei que valeria a pena investir em uma edição mais completa que a que tinha aqui. Foi assim que cheguei à edição da editora Antofágica. Não conhecia essa edição, fiquei curiosa ao ver a capa e a descrição e decidi comprar essa mesma. Mas que maravilha foi receber esse livrinho! É daqueles que você fica admirando, cheirando, folheando e pensando: “que trabalho primoroso!”. Então, pronto, resolvi compartilhar aqui.

O livro é de capa dura, cheio de ilustrações incríveis do João Montanaro, texto do Ferréz, letras em azul, qualidade impecável das páginas… Como falei, me empolguei tanto que resolvi compartilhar aqui.

Quero voltar em outro momento para falar sobre o livro mesmo. Sei que é um clássico e tem tanta coisa escrita sobre ele, mas quero falar sobre minha experiência de releitura e, principalmente, nesse contexto. É um livro muito apropriado para (re)lermos em épocas como a que estamos vivendo no Brasil. Prometo voltar para isso, só não vou prometer quando.

E é isso! Essa publicação não tem nenhum outro objetivo a não ser a ostentação (rs). Mas sei que, como eu, tem muita gente que ama edições diferentonas (e boas, por favor!) de livros. Espero que vocês que são assim também tenham gostado.

Até mais ler!


Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s