2018 durou três anos

Olá, pessoas!

Venho hoje me despedir do blog por um tempinho. Sim, estarei de volta no próximo ano, mas não pretendo publicar mais nada até lá, então aqui estou para uns comentários aleatórios de fim de ano.

Minha intenção era fazer mais uma publicação antes dessa despedida temporária, sobre outro tema que foi importante para mim em 2018: minha experiência de mais de um ano sem comer carne e a trajetória no vegetarianismo até aqui, mas não deu. Tudo bem, em breve falarei sobre isso.

Dezembro tem sido um mês bem corrido e agora faltam menos de duas semanas para terminar o ano. Eu preciso muito fazer duas coisas: me organizar para 2019 e estudar. Como contei, estou participando de um processo seletivo de vestibular e fui para a segunda fase, terei provas em janeiro e preciso revisar algumas matérias até lá. Meu fim de ano não será de férias, embora eu necessite desesperadamente delas. Mas decidi “tirar férias” do trabalho (não existe férias de verdade quando se é freelancer) e assim diminuir o que tenho que fazer nos últimos dias para descansar um pouquinho, ter tempo para estudar e colocar no papel o que está na minha cabeça.

Eu sou daquelas pessoas que precisa colocar tudo no papel, para sentir que o que está na minha cabeça tem algum sentido e me livrar um pouco do peso de ficar sempre pensando no que preciso fazer. Já comprei minha agendinha de 2019, mas ainda não consegui nem olhar para ela direito. Então preciso sentar e fazer isso: colocar no papel minhas ideias, planos, listas, prioridades.

Vocês costumam fazer isso para o ano novo? Por muito tempo eu não me organizava assim, mas de uns dois, três anos para cá tenho feito e isso me ajuda muito. Não faço planos super mirabolantes e inalcançáveis, nem prometo um monte de coisas que não vou cumprir. Meu esquema é: defino duas ou três prioridades para o ano, sendo que uma delas será a prioridade das prioridades, vou me dedicar àquilo, não importa o que aconteça. Em 2018, por exemplo, essa prioridade foi cuidar da minha saúde emocional. Como vocês imaginam, não é algo que se resolve em um ano, mas a ideia era colocar isso em prática e levar muito a sério e adiante.

Além das prioridades, gosto de fazer uma lista de leituras e outra de coisas importantes que preciso fazer ao longo do ano, como exames médicos, renovar documentos, etc. Também tento separar um pouco essas obrigações pelos meses do ano, mas nada muito definitivo, a não ser que realmente exista uma data limite para fazer. Também tento colocar metas para mim mesma, algumas que nunca alcanço (como praticar exercícios físicos com regularidade), outras que consigo cumprir satisfatoriamente. De qualquer maneira, essas metas ficam ali como um lembrete de que posso cumpri-las e devo me esforçar para isso. E é só isso minha organização para o próximo ano.

Não vejo a virada do ano como algo mirabolante, em que todas as coisas ruins ficam para trás e agora vamos começar algo novo, lindo, 365 oportunidades para fazer diferente, blá, blá, blá. Mas gosto da ideia de que o fim do ano é um período para a gente parar um pouco, fazer um balanço de tudo e decidir o que vamos mudar, com o que vamos continuar e de que maneira.

Acho que sinto uma necessidade grande de fazer esse balanço em 2018 porque, para mim, foi um ano cheio de acontecimentos e talvez, por isso, parece que durou três anos. Fazia muito tempo que não tinha a sensação de que um ano passou devagar, mas tive agora. Comecei o ano morando ainda na Colômbia, voltei para o Brasil, decidi voltar a fazer outra graduação, estudei para os vestibulares, fiz provas, trabalhei muito, segui firme na terapia. Ufa! Sem falar nas coisas fora do meu âmbito pessoal, mas que me atingem profundamente, como toda a situação política e social que estamos vivendo no Brasil (e na Colômbia, que é meu segundo país do coração), a morte de Marielle Franco, o incêndio no Museu Nacional, as eleições, o nível em que chegamos em tudo isso, as expectativas ruins nesse aspecto para o próximo ano. 2018 parece eterno! Mas considerando que os próximos quatro anos serão um grande inferno, seria bom se 2018 durasse um pouquinho mais. Mas seguimos aqui, seguimos de pé e juntos. Vamos separar esse restinho de ano para respirar bem fundo, porque 2019 não será fácil.

Por fim, quero falar sobre o blog. Obviamente não me esqueci do desafio literário deste ano. Infelizmente não consegui cumprir minha meta de leitura. Minha vida não foi das mais tranquilas, como vocês podem perceber e no dia a dia foi bem difícil manter um ritmo que desse para ler todos esses livros. Achei que conseguiria, mas não consegui. Na verdade, me atrapalhei comigo mesma, porque já sabia que teria que ler/reler os livros do vestibular e mesmo assim fiz uma lista com 12 autoras. Foi impossível. Peço desculpas por não ter conseguido e ter sido necessário fazer uma pausa. Mas não pensem que abandonei o desafio. Mesmo atrasada, vou terminar todos os livros (já retomei as leituras) e no ano que vem continuo com as publicações,. Acredito que consigo terminar (leituras + publicações) até fevereiro ou março. E, sim, terei uma lista para 2019 também, mas será um pouco menor, em janeiro a apresento para vocês.

O blog cresceu bastante em 2018, muito mais do que eu esperava. Na verdade, eu nunca espero que ele cresça, só fico aqui escrevendo meio que para mim mesma. Sei que preciso mudar um pouco essa visão que ainda tenho sobre o blog, como se eu não desse a ele a devida importância que merece. Merece porque tem sido algo importante na minha vida. Consegui manter uma regularidade nas publicações até certa altura do ano (nas eleições tudo desandou, mas o que não desandou nesse Brasil nessa época?). Mas ainda assim, sinto que não foi o melhor que eu poderia fazer. Mas também não quero me cobrar muito em relação ao blog, porque escrever aqui é meu momento de lazer, não quero que se torne um peso. Então em 2019 espero encontrar um equilíbrio entre levar o blog mais a sério, sem levar tão a sério, se é que dá para entender isso.

Obrigada a todos vocês que estiveram aqui durante esse ano. Conheci pessoas novas e legais por causa do blog, troquei ideia com algumas e gostei muito disso. Espero contar com suas visitas em 2019 também, para trocarmos mais ideias sobre literatura, autoras, sobre a vida em geral. Obrigada, de verdade.

Deixo vocês com uma foto da árvore de Natal que fizemos aqui em casa para esse ano. Fazia muitos e muitos anos que não colocávamos nenhum enfeitinho nessa data, mas este ano eu fiz questão de fazer alguma coisa. Pensamos em várias possibilidades de árvore de Natal, até que me lembrei que ano passado tinha visto uma de livros aí pela internet. Convenci minha irmã e minha mãe de fazer, se não ficasse boa, a gente desmanchava, mas ficou lindinha. Juntamos vários livros das três e o resultado foi esse que vocês podem ver.

Árvore de Natal de livros ❤

Feliz Natal para todo mundo! Que o verdadeiro significado tenha mais espaço que as compras desenfreadas e desnecessárias. O verdadeiro presente já veio ao mundo. Vocês podem dar uma chance a uma ceia com pelo menos um prato vegetariano? Aqui minha irmã vai fazer um prato principal de carne, mas vou fazer meu prato principal vegano e uma sobremesa também. Sei que todos vão gostar. Os acompanhamentos serão todos sem carne. Que vocês aproveitem as festas para passar com pessoas queridas e tenham momentos felizes.

Até 2019!


Um comentário sobre “2018 durou três anos

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s